Índice do fórum Treinamentos Avançados Treinamento Oracle RAC IP's RAC

IP's RAC

Dúvidas, dicas e atualizações sobre o Treinamento Oracle RAC.

Mensagem Dom Nov 10, 2013 11:14 pm

Mensagens: 1
Olá,

Depois de ter lido várias páginas na Internet, com informações contraditórias (valorizo muito e sou muito agradecida para quem escreve na Internet), e depois de ler várias notas no Metalink que me deixaram com dúvidas, nada melhor que o Ricardo Portilho, com essa bagagem de tantos anos com RAC, para esclarecer essa dúvida:
(Vimos essas definoções no curso de RAC, mas como não tive convivio após, acabei esquecendo :( )
Quanto aos "Ips do RAC" , qual a finalidade de cada um e qual o impacto se não estiverem ativos:

1. PUBLIC

2. VIP

3. PRIVATE

4. SCAN

Mensagem Seg Nov 11, 2013 3:22 pm
portilho Site Admin

Mensagens: 444
Vou trocar a ordem da explicação dos IPs para facilitar o raciocínio.

1. PUBLIC (um para cada Nó)
PUBLIC, VIPs e SCAN estão diretamente ligados.
O PUBLIC é o mesmo IP que uma Single Instance tem. Na Single Instance, seria o IP por onde os clientes se conectariam, mas não é bem assim no RAC.
Os IPs VIP e SCAN existem sob a mesma placa de rede da interface PUBLIC (pois são utilizados para acesso público). Se você puxar o cabo de rede da PUBLIC (ou desabilitar a interface de rede no sistema operacional), os IPs VIPS e SCAN também estarão indisponíveis, e nenhum cliente conseguirá se conectar à instância que está na máquina agredida.
Como os clientes conseguirão se conectar na outra máquina, pode ocorrer uma certa lentidão para a conexão, e até durante o uso do banco de dados, pois agora só temos uma máquina.
Como os VIPs e SCAN existem na mesma placa de rede PUBLIC, os nomes da intercafe são derivados desta: se a PUBLIC é a eth0, o VIP é o eth0:1, e os SCANs eth0:2, e daí por diante.

2. VIP (um para cada Nó)
ERA por onde os clientes se conectavam no Oracle RAC, antes do 11gR2. Os VIPs deviam ser colocados (via nome ou IP) no tnsnames.ora de cada cliente.
Embora ele não seja utilizado diretamente para conexão, ainda no Oracle RAC 11gR2, se ele ficar indisponível (por exemplo, via "ifconfig eth0:1 down"), nenhum cliente conseguirá acessar esta instância, como no caso do PUBLIC. Isso acontece pois o SCAN "envia" a conexão para o VIP.
Os VIPs são IPs virtuais: se um Nó ficar indisponível, o VIP desta máquina migra para uma máquina sobrevivente.

3. SCAN (um nome para todo o Cluster, resolvendo para 3 IPs diferentes).
Criado a partir do Oracle RAC 11gR2, é o nome (e não os IPs) do SCAN que deve ser colocado no tnsnames.ora dos clientes, para acesso ao Cluster.
O SCAN resolve (via DNS) para 3 IPs, que são estão "espalhados" pelas placas de rede PUBLIC do Oracle RAC.
Esta resolução é via método Round-robin, ou seja, às vezes vai para o primeiro, às vezes para o segundo, e daí por diante.
Ele foi criado por dois motivos: em primeiro lugar, para facilitar a configuração do tnsnames.ora (por exemplo, você não precisa alterar todos os tnsnames.ora de seu ambiente após adicionar um Nó). Em segundo lugar, porque o Failover via Round-robin do DNS é mais rápido do que o Failover do VIP do Oracle RAC (por padrão, de 30 segundos).
Se todos os IPs SCAN ficarem indisponíveis (por exemplo, desligando-se o DNS), nenhum cliente conseguirá acessar NENHUMA instância.
Se apenas um dos 3 SCANs ficar indisponível (por exemplo, via "ifconfig eth0:1 down"), apenas o acesso à instância que está nesta máquina será prejudicado, como no caso do PUBIC.
Os IPs SCANs são IPs virtuais: se um Nó ficar indisponível, o(s) IP(s) SCAN desta máquina migra(m) para uma máquina sobrevivente.
E por que 3 IPs SCAN? Se você tiver um Oracle RAC de 5 Nós, ainda terá 3 IPs SCAN? Sim, a base deste número é a probabilidade de que é provável que você perca uma máquina (e um IP), é possível que você perca duas, mas é improvável que você perca três. Logo, mais do que 3 IPs para o SCAN seriam desnecessários.

4. PRIVATE (um para cada Nó)
Não é acessado pelos clientes.
É utilizado para a comunicação entre as instâncias, principalmente a respeito de cache e de Locks.
Se você puxar o cabo de rede da PRIVATE (ou desabilitar a interface de rede no sistema operacional), o ÚLTIMO Nó que foi iniciado (e não necessariamente o Nó de onde você puxou o cabo) será removido do Cluster (e impedido de acessar seus recursos, como o banco de dados), e seus VIPs e SCANs migrarão para outra máquina.
Se você puxar o cabo de rede dos dois Nós (ou desligar o switch), acontecerá a mesma coisa: o último Nó que foi iniciado será removido do Cluster, mas um ficará ativo, e aceitando conexões dos clientes ao banco de dados.

Mensagem Qua Nov 13, 2013 5:34 pm

Mensagens: 1
Sem dúvidas, que você era a pessoal ideal para nos falar sobre RAC :)
Muito obrigada mais uma vez!

Mensagem Qua Nov 13, 2013 6:06 pm
portilho Site Admin

Mensagens: 444
:-D

Mensagem Qui Mai 04, 2017 6:16 pm

Mensagens: 0
Excelente explicação! Estava lendo a respeito em outros lugares mas aqui achei a melhor definição sem meias palavras e direto ao ponto.

Mensagem Ter Mai 09, 2017 10:17 am
portilho Site Admin

Mensagens: 444
:-D


Voltar para Treinamento Oracle RAC