Tibero

Para quem não conhece, o Tibero é um RDBMS da TmaxSoft, empresa da Coréia do Sul, que se apresenta como uma alternativa (mais barata) ao Oracle Database, sendo completamente compatível – nenhuma linha de código de sua aplicação precisa ser alterada.

Muitas pessoas me perguntam o que eu acho do Tibero.

Minha opinião é que é engenharia reversa. Ou pior. O Tibero tem Listener, DBWR, LGWR, CKPT. E por aí vai.

Fortalecendo esta teoria, eu conheço dois casos de empresas que tentaram migrar para Tibero e não conseguiram. Um destes casos eu tenho muitos detalhes e provas: os engenheiros coreanos vieram para o Brasil, e não conseguiram fazer o programa (que funcionava e continua funcionando no Oracle) CONECTAR no Tibero. O projeto foi abandonado.

Algumas coisas do Oracle ele não tem, como o RMAN. Imagine um Oracle sem o RMAN. Não precisa imaginar, é o Tibero.

Eu o baixei, instalei, testei. Fui direto no manual de Backup e Recovery, por onde comecei. Ponto positivo: ele tem apenas 74 páginas. Ponto negativo: ele tem apenas 74 páginas. O backup é via BEGIN BACKUP e CONTROLFILE TO TRACE.

Mesmo que não for engenharia reversa, se a Oracle processou o Google por usar meia dúzia de linhas de código do Java, imaginem o que ela vai fazer com esta empresa. Até o “RAC” deles chama “TAC”. A Oracle processaria só por isso.

E os DBAs Oracle sabem: nem o Oracle funciona direito. Imagina então uma cópia da Coréia.

Não sou fã da Oracle, muito pelo contrário, sou um crítico ativo dela. Mas se eu tivesse que usar um banco de dados, não usaria o Tibero.

“Ah Portilho, eu uso Tibero aqui e está tudo bem”. Bem, espero que continue com sorte.

11 comments

  1. Não é isso que estão dizendo ~vendendo~ por ai…

    “Facilidade de Migração
    O Tibero possui uma ferramenta de migração, tbMigrator, que permite a migração automatizada de um banco existente em poucos dias. Além disso, ele nem mesmo necessita de reescrita de código”

    🙂

    1. Migração nunca é fácil. Nunca.
      Mas vamos testar para ver o quanto é menos difícil.

  2. Aqui eles fizeram uma apresentação.. na apresentacao em servidores ibm(que sao parceiros) sao bem mais performático que o proprio Oracle e tem funcionalidade que o Oracle ate “Copiou”… mas não convenceram os diretores… rsrss.

  3. Olá Ricardo,
    Acredito que seu teste com relação ao Tibero tenha sido um pouco superficial.
    Sobre a conectividade, na grande maioria dos casos você conecta sim sem modificar nada no código da aplicação.
    Raras exceções podem acontecer como na migração de Oracle para qualquer outro banco poderia acontecer e nesses casos você realmente precisa alterar algumas linhas de código para compatibilidade.
    Em termos de banco de dados, o Tibero apresenta 97% de compatibilidade com o Oracle atualmente o produto de menor impacto para uma possível migração.
    O TAC que você menciona funciona muito bem e atende a proposta de clusterização ativa com fail over e fail back, possui um gerenciador de volumes próprio e diversas funcionalidades.
    Não houve processo da Oracle pois você não detém patente de nome de objeto, apenas de código e o motor do Tibero é diferente nesse aspecto.
    Com relação ao backup ele não tem o RMAN mas tem o tbrmgr, Tibero recovery manager que faz muitas das funções do RMAN, não tem data pump mas tem o tibero export e tibero import (tbexport/tbimport).
    Em termos de tempo de mercado, o Oracle já leva mais de 30, o Tibero menos da metade disso, portanto o critério de comparação sobre maturidade de produto realmente apresenta uma disparidade.
    Porém você ao comprar o Tibero leva um produto justo pelo preço que está pagando.
    Além do citado acima o Tibero possui tecnologia multi-thread background e foreground, possui disaster recovery chamado de TSC, tibero standby cluster e uma série de outras funcionalidades
    Possui uma ferramenta de monitoramento chamada de Tibero manager, no qual você monitora via console web.
    Assim como você sou “agnóstico” a marca de banco de dados, e avalio o Tibero como uma saída para aqueles que não conseguem mais pagar um licenciamento Oracle, ou para software houses que tem a sua receita diminuída pois os custos do banco de dados Oracle excedem os custos de seu ERP por ex.
    Caso queira discutir sobre Tibero estou a disposição para um bate papo.
    Forte abraço.

    1. Oi Ronaldo.
      Sim, meu teste foi superficial (por enquanto). Irei testar mais para conhecer melhor o produto, e aceito conversar a respeito. Como disse, esta é apenas minha opinião.

      Não encontrei citação sobre o tbmmgr no “Backup & Recovery Guide”, onde deveria estar. Depois encontrei no “Administrator’s Guide”.

      Embora você seja “agnóstico”, você trabalha na Tmaxsoft, certo?

      1. Prezado Ricardo,
        Sim sou suporte de segundo nível da TmaxSoft, trabalhei por vários anos com Oracle, Sql server, Postgres, Mysql, Firebird e etc…, e aceitei a proposta e o desafio de atuar com essa nova tecnologia.
        Mas respeito todas as tecnologias e como sempre afirmo, Tibero e Oracle são dois produtos distintos, que se destinam ao mesmo fim.
        Seria como você comparar um Toyota corola e um Honda civic, ambos tem a mesma função mas tem suas características individuais.
        O motivo de tamanha similaridade do Tibero com o Oracle no quesito operacional, é unicamente aproveitar a mão de obra já formada do maior fornecedor de banco de dados do mundo.
        Portanto você tem impacto minimizado na migração e depois no pós migração.
        Um bom DBA Oracle tem uma curva de aprendizado muito pequena para se adaptar ao Tibero.
        Agora que já nos conhecemos, conte comigo para o que precisar no que tange ao Tibero.

        Abraço.

        1. Obrigado pelas informações Ronaldo.
          Estou fazendo mais testes a respeito e os publicarei em breve.

          1. Que legal Ricardo, vou acompanhar sua publicação.
            Abs.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.