Contos da Nerv: Seu DBA, eu não sou vagabundo, eu não sou delinquente, sou um cara carente

Treinamento Oracle Performance Diagnostic e Tuning.

Na primeira manhã eu falo pra caramba neste Treinamento.

Database Writer. Log Writer. DATAFILEs. Desenho no quadro branco. REDO LOGs. Cache. Shared Pool. CONTROLFILE. SWITCH. Apago tudo. Desenho de novo, mas agora com vermelho e verde.

Quase todos olhando atentamente.

Quase todos perguntando a respeito.

Menos um.

Ele só olhava. Nem balançava a cabeça de forma afirmativa, ou cerrava os olhos, que é o que faz quem não está entendendo nada.

Ele só olhava. Braços cruzados.

Após umas duas horas de Treinamento, ele se levanta, e vai até a porta calmamente.

Aponta para a escada, olha nos meus olhos, e diz: “posso falar com você?”

Eu prontamente concordo e desço com ele. No breve caminho eu penso: meu Deus, será que falei tanta besteira assim? Tenho CERTEZA que o Log Writer faz isso, eu já vi.

Nas escadas, ele olha para mim.

Me abraça.

Quem está na sala de aula não consegue ouvir claramente o que é dito nas escadas, que é meio que no andar inferior.

E ele chora. De uma forma que CERTAMENTE podia ser ouvida na sala de aula. Chora copiosamente. De molhar minha camisa. Desde então, só uso camisas pretas para as aulas. Pena, gostava das brancas…

O choro continua.

Sem saber o que fazer, acho que abraço ele (e penso em quão distante está o momento de ir ao Boteco embaixo da Nerv).

Após algum tempo, ele me explica: a namorada dele deixou ele, porque ele veio ao Treinamento. Ela disse que ele já trabalha todos os dias, e muitas noites, e muitos finais de semana, e quando tem um final de semana de folga, vai fazer Treinamento. Foi o fim para ela.

Volta o choro, e volta o abraço. Volta também o pensamento no Boteco.

Eu digo para ele algo como “cara, ela não te merece. Você quer um futuro, ela quer o presente. Você é novo, e terá muitas escolhas melhores pela frente, acredite em mim”.

Ele diz algo como “quer saber, você tem razão! Vou continuar o Treinamento, e ser o melhor nisso!”

Nessa hora vi meu erro de estratégia, e tentei concertar: “Não cara, vai pra casa, descansa, você não está com cabeça. Você vai vir na próxima turma, e vai detonar, vai ser muito melhor”.

Ele insiste: “Não, você tem toda razão (?!?), eu vou fazer este Treinamento!”

Após mais algumas infrutíferas tentativas minhas, subimos então de volta à sala de aula. Direto, sem escalas.

O rosto dele amassado, sofrido, diria que lambuzado.

Minha camisa ensopada, manchada.

Todos na sala com os olhos arregalados, cara de quem viu o GodZilla passando na janela, cara de “o que aconteceu gente ???”

Ele simplesmente se senta, em seu lugar, e espera eu prosseguir com a aula.

E eu respiro, e uma entidade em mim continua com a aula. Falando sobre Database Writer, Log Writer, DATAFILEs…

Às 18:00, o Boteco estava aberto ainda.

PRÓLOGO
Eu sei que você leu o título cantando.

CENA PÓS-CRÉDITOS
Depois eu vi o Facebook dele, e o dela, e acho que o motivo do término não foi o Treinamento…

8 comments

  1. Ele deve ter lembrado de CHUCK NORRIS

    CHUCK NORRIS não usa LOG. Ele se lembra de todos registros que alterou. Para que REDO !!!!
    CHUCK NORRIS não usa LOG. Ele não vai falhar.
    CHUCK NORRIS não usa SHARED POOL, ele se lembra dos SELECTs disparados.

    Mas, mudando a brincadeira, eu diria que ele matriculou-se em curso errado.

Deixe uma resposta para Adriano Alves Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.