Processo Seletivo para DBA Júnior

Peço desculpas pelo título tão chamativo para quem busca trabalho, mas esta postagem é para você mesmo.

Recentemente fizemos alguns processos seletivos para a Nerv.

Em especial o processo para DBA Júnior me fez perceber algumas coisas importantes sobre os candidatos e o mercado de trabalho.

Eu procurei fazer esta vaga de DBA Júnior corretamente. Nada daquelas vagas que pedem RAC, Data Guard, Tuning, Exadata, Oracle 8i, HP-UX, e por aí vai. A vaga tinha cerca de 10 itens, como instalação do Oracle, alteração de parâmetros, manutenção de espaço. Nada de mais. A vaga tinha o que eu acho que um DBA Júnior deve fazer, o que eu gostaria de fazer como DBA Júnior.

O que eu aprendi:

– A maioria acha que DBA faz DDL e DML. E só. Parece que é isso que algumas faculdades andam ensinando, ou alguns “especialistas” do mercado deixam a entender, como os próprios candidatos me falaram. Eu explico que o DBA tem que saber fazer DDL e DML sim, assim como o mecânico precisa saber dirigir – a maior parte do trabalho é outra. Parece que o cara vê “DBA Oracle” e pensa “Ora, eu sei Oracle, já criei várias tabelas nele, e até fiz INSERT! Vou mandar CV! Agora vai!”.

– Recebemos mais de 400 CVs. A maioria (talvez 80%) envia CV para a vaga mesmo sem ter nem de perto as qualificações solicitadas (por exemplo, recebemos CVs de Web Designer). Enviam por enviar. Imagino que estes devem reclamar que as empresas não respondem… E nós respondemos absolutamente todos.

– Para ter uma ideia do preparo dos candidatos, poucos entraram no site da Nerv para saber o que fazíamos. E um caso especial: eu perguntei a um candidato ao chegar na entrevista o que ele conhecia de Oracle, e ele me respondeu “Ué, a vaga não é de SQL Server?”. Alguns marcaram entrevista e não vieram.

– Nenhum deles leu nenhum livro sobre Oracle na vida. E a maioria diz que as empresas não investem no funcionário. Mas se nem eles próprios investem…

– Quase nenhum deles nem tentou instalar o Oracle, nem em Windows. Para o iniciante realmente é muito difícil instalar o Oracle em Linux, mas estamos em 2016: há vídeos ensinando a fazer isso, passo a passo. Não há explicação para nem ter tentado.

– Quase todos os candidatos selecionados que diziam ter os requisitos, ao chegar na entrevista, diziam que não tinham todos os requisitos. Isso realmente me chocou. A maioria dizia na cara dura ter apenas 2-3 dos 10 requisitos. E alguns disseram que tinham, mas não tinham, e tentaram me enrolar (que belos pesadelos devem ter tido…). Na verdade, a maioria nem sabia o que queria dizer os requisitos. Parecem que só leram o título da vaga (oba, quero virar DBA!), e chutam de bico. Se der certo, deu.

Este último item me fez entender porque as empresas estão pedindo vagas com requisitos absurdos: eu pedi 10, recebi 2 ou 3. Por essa lógica, se eu pedir 100, devo receber 8 ou 10, espantando os que tem 2.

Procuramos fazer nossa parte: em primeiro lugar, um processo seletivo correto, e com resposta para todos. E para os candidatos que se saíram melhor, mas que não foram aprovados pela quantidade de vagas, demos um treinamento DBA Júnior, para que eles se preparem melhor para uma futura oportunidade.

Espero que esta postagem ajude alguém, que está procurando trabalho, a pensar melhor a respeito do porquê não estar encontrando.

O “mercado de trabalho” somos nós.

43 comments

  1. Interessante Portilho, os próprios “profissionais” estão “matando” o mercado que eles querem…e depois reclamam que as empresas pedem absurdos…
    Abraço!

    1. Grande Ishii!
      Eu me espantei quando (acho que) entendi porque as empresas fazem as vagas assim.

  2. Pois é Portilho, é a triste realidade do mercado.

    É bem legal ver atitudes e iniciativas para tentar mudar isso.

    Aqui na empresa que trabalho fizemos um processo seletivo para Analista de Sistema Sênior, recebemos currículo que não tinham exatamente nada a ver com a vaga, por exemplo, o currículo de uma atendente de farmácia.

    1. Grande Nelson!
      Eu acredito em você, imagino também que a pessoa deve pensar “eu quero ser isso”, e manda o CV.

  3. Portilho,

    Parabéns pelo post e pela atitude de dar este curso para alguns dos candidatos.

    Abraço e espero poder fazer um curso com você ainda!!

  4. Portilho, bom dia

    Voce realmente pega a real dos fatos e faz da forma mais correta possível,

    É bom saber que temos pessoas assim para manter a area sempre boa,

    Meus mais singelos parabéns e que a Nerv continue sempre firme e forte

    1. Muito obrigado mesmo pelo comentário e reconhecimento Gledisin.
      Vamos fazendo o certo, que dá certo!

  5. Olá Portilho,

    Já vi esse comportamento algumas vezes. O candidato acha que precisa saber fazer apenas SELECT, e ainda se diz avançado quando sabe fazer JOINS.

    Abraços

    Legatti

  6. E digo mais, isso não acontece apenas com vagas para DBA Oracle Jr. Não sei o que é pior, se são os mal informados ou os profissionais mal preparados!

    1. Acho que nos níveis mais para Pleno / Sênior isso acontece, mas não a ponto do cara dizer na minha cara que sabe apenas 2-3 dos 10 itens solicitados.

  7. “Este último item me fez entender porque as empresas estão pedindo vagas com requisitos absurdos: eu pedi 10, recebi 2 ou 3. Por essa lógica, se eu pedir 100, devo receber 8 ou 10, espantando os que tem 2.”
    A partir dessa sua visão Portilho eu também comecei a entender um pouco sobre o porque as empresas pedem requisitos absurdos as vezes, parabéns pelo post.

    Gostaria de deixar o link de um artigo que eu publiquei no meu linkedin a respeito desse mesmo assunto.
    https://www.linkedin.com/pulse/ei-voc%C3%AA-que-acabou-de-se-tornar-um-dba-n%C3%A3o-desista-leandro-vieira?trk=prof-post

    Abraços!

  8. Portillo ,

    Achei interessante a postura de vcs de informarem corretamente o perfil que estavam procurando e ainda mais bacana de fazerem o treinamento com os que não foram aprovados .
    Parabéns !!!!

    1. Obrigado Rodrigo.
      Não interessa para nós o que outros fazem, vamos prosseguir fazendo o que achamos correto, e bom. 🙂

  9. O melhor post que já vi explando sobre o porquê das especificações de seleção de vagas serem tão amplas.

  10. ‘Este último item me fez entender porque as empresas estão pedindo vagas com requisitos absurdos: eu pedi 10, recebi 2 ou 3. Por essa lógica, se eu pedir 100, devo receber 8 ou 10, espantando os que tem 2.’

    Isso não faz o menor sentido, uma coisa não implica na outra. Melhor filtrar com uma conversa telefônica ou troca de mensagens de correio eletrônico, ou mesmo via CV, antes de marcar entrevista.

    1. E você prefere filtrar 400 ou 40 CVs? Se aumentar os requisitos, virão menos CVs.
      O que não faz sentido é uma pessoa se inscrever em uma vaga que pede requisitos obrigatórios, sem ter estes requisitos, nem de perto.

  11. Boa tarde pessoal!

    Portilho, sem dúvidas, pude aprender muito com o post + comentários dos amigos.
    Muito obrigado por compartilhar.
    Um fraterno abraço para todos 🙂

    Wagner Vinicius

  12. Oi Portilho, vejo muitos profissionais se auto-intiularem DBAs, só porque sabem fazer DML, DDL e eles estão longe até mesmo de serem ADs. Admiro muito você e a forma como você se posiciona: é simples e direto. Mesmo sendo um dos maiores especialistas da área. Sucesso e vida longa, merece!

  13. Queria muito crer que quem enviou currículos que não preenchem o que foi pedido na descrição da vaga como o caso do Webdesigner e tal não agiram por má-fé ou mesmo por questão de analfabetismo funcional ,mas isso infelizmente não corresponde a realidade do mercado de trabalho atual,onde nem sempre os “profissionais” estão preocupados com algo interessante chamado pré-requisito para desempenhar qualquer função em qualquer setor de atividade.

    1. Acho que isso é fruto de nossa cultura do “vamos tentar e ver no que dá”. Isso tem muitos contras, e poucos prós.

    1. Obrigado pela referência, Fábio. Eu achei importante mencionar um caso real de um processo seletivo, mesmo que seja de uma empresa pequena como a minha.

  14. Portilho, boa tarde!

    Parabens pelo post. Gostaria de compartilhar da mesma experiencia. Sou DBA Oracle Jr e nunca havia trabalhado com T.I antes, trabalhei 8 anos como bancario, e hoje aos 24 anos consegui migrar para area de T.I como DBA Oracle. Lendo seu artigo, foi como ver um filme em um periodo de 5 anos. Com um currículo no incio muito fraco, mal apresentado e com poucos conhecimentos de banco de dados, tudo que eu tinha era Cursos Oficiais da Oracle e a formação em SI, e com o passar tempo as empresas não me chamavam, foi quando comecei a investir novamente em treinamentos, livros, certificação, laboratorio de estudos (VMs) e ajuda de amigos profissionais atuante na area, consegui me preparar melhor para uma entrevista, onde o Instrutor Fabio Prado me ajudou muito em treinamentos e na elaboração de curriculo, tendo isso, Graças a Deus consegui neste ano de 2016 migrar para a area de TI como DBA Oracle Junior, sendo que ja estou na segunda empresa pois oportunidades e condições melhores surgiram decorrente aos investimentos feitos na carreira, tudo isso graças a uma boa elaboração de curriculo, estudos em banco de dados, tanto na parte teorica quanto na parte Pratica.

    Ressalto tambem uma grande dificuldade, pois eu atuava na area bancaria, não tinha tempo para estudar e na maior parte do dia não tinha vivencia pratica para aprimorar os conhecimentos em banco de dados. Mas com foco e dedicação por parte do candidato as oportunidades aparecem. Inclusive, mandei curriculo inicialmente na propria Nerv, e de fato fui respondido, mas eu estava ainda na malha de curriculos mal apresentados. Mas aprendi com os erros!

    Obrigado, abraços.

    Fernando Rocha

    1. Oi Fernando.
      Muito obrigado pelo comentário.
      Realmente sinto que falta nas pessoas simplesmente “correr atrás”, como você fez. É fazer curso, ler, treinar em VMs, etc. Sinto que a maioria espera realmente que irão fazer a formação, no máximo um curso, e pronto, agora é enviar CVs, ou pior, ficar falando “se souberem de algo me avisem”.
      Deu certo para você pois você realmente quis, e digo novamente, correu atrás. Meus parabéns! 😀

  15. Olá Portilho,

    Realmente o mercado está carente de profissionais qualificados.

    Na minha opinião, para uma carreira de Dba não existe atalho, e vejo que a grande maioria, não querem muito se preocupar com o conceito, entender como de fato a coisa funciona.

    A um tempo atrás, precisávamos de um DBA nível pleno a sênior, fizemos algumas entrevistas, e o que pude perceber, é que a grande maioria eram profissionais somente operacionais.

    Perguntas como:

    Como você inicia um troubleshooting de tunning no banco se dados se alguém liga e diz que o sistema está lento?

    Qual é um valor considerável ruim, para uma latência de disco do seu ambiente?

    Você costuma ter um baseline?

    Perguntas deste tipo para vaga de pleno a senior,não eram respondidas, e quando eram, as respostas sempre muito vaga.

    Abraço

    1. Oi Alexandre.
      Concordo, está difícil achar DBA qualificado, para qualquer nível que você procurar. O nível médio está caindo muito.
      Os candidatos reclamam que não tem vagas, e os empregadores reclamam que não há profissional qualificado. A conta não bate.
      Sim, tem quem não pague bem, mas mesmo quem paga o correto sofre na hora entrevista.
      Tenho certeza de que você deve ter sofrido muito com cara que chega, diz que é Sênior, e não responde nada disso. Confundem senioridade com tempo de trabalho, e até no tempo de trabalho consideram 3-5 anos como muita coisa.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *