Como aprender um novo Banco de Dados

Os DBAs Oracle têm um novo amigo agora que está mais perto, o MySQL. E para os DBAs que precisam conviver com outro SGBD, eu reuni os passos que sigo quando tenho que aprender uma nova ferramenta tão complexa. Este guia me serviu para qualquer SGBD que aprendi até o momento. Além do Oracle, eu gosto de conhecer muitos SGBD (Sistemas Gerenciadores de Bancos de Dados), como o Oracle, SQL Server e MySQL, simplesmente porque isto me proporciona uma maior empregabilidade, e com um maior valor, para mim e para o cliente. Mas como é impossível saber tudo, mesmo sobre apenas um SGBD, eu procuro focar em apenas três áreas: Tuning, Recovery, e Disaster Recovery / High Availability. Gosto destas áreas simplesmente porque acho que são as mais legais, além de serem as situações onde não dá tempo de ler o manual. Eu não lembro de cor o comando para criar usuário no Sybase, mas sei recuperar este banco rapidamente. Não adianta sair lendo toda a documentação desde o início, ou fazer um treinamento. Siga os passos a seguir.

Fase 1
– Encontre a documentação oficial, e deixe-a pronta para consulta no seu navegador. Você irá precisar pesquisar a documentação sobre quase tudo o que fará a seguir. Se possível, não utilize um mecanismo de busca da documentação, interno ou externo: procure o que quer pelos capítulos ou no máximo pelo índice. Desta forma, você também passa a conhecer a estrutura da documentação.
– Instale o bicho. Como para isto é necessário baixar o programa, aproveite para conhecer suas versões, licenças e plataformas, e se possível os preços também. Alguns SGBD tem tempo de expiração para uma instalação de testes, fique atento a isto.
– Entre no banco de dados como administrador. Para um banco de dados desconhecido, isto pode ser um grande passo.
– Crie um novo usuário, e conecte-se com ele. Conecte ao banco de dados com este novo usuário utilizando alguma linguagem de programação que você conheça (eu utilizo Perl). Nisto você pode aprender sobre drivers específicos deste SGBD.
– Pare e inicie o SGBD, incluindo o sistema operacional.
– Não entre em pânico. Aprender uma nova ferramenta tão complexa é uma tarefa realmente difícil. Aceite este fato e você conseguirá.
– Entenda sua estrutura física, ou seja, seus arquivos de dados e logs de recuperação, arquivos de inicialização e controle. Se forem arquivos texto, entenda seu conteúdo. Você deve saber “onde fica” o banco de dados.
– Entenda e encontre sua estrutura lógica: tablespaces, objetos, esquemas, bancos, usuários. É aqui geralmente que tudo se complica, pois nomes iguais significam coisas diferentes em SGBD diferentes, assim como nomes diferentes significam coisas iguais.
– Procure o log de erros, e observe-o até o final da Fase 3, ou melhor, para sempre.
– Execute backup, físico e lógico, se existirem estes dois métodos.

Após a Fase 1 você vai estar se achando o DBA mais Sênior do mundo. Mas aí começa a Fase 2, e volto a dizer: não entre em pânico.

Fase 2
– Veja como saber o que está acontecendo no SGBD, o que as aplicações e usuários estão fazendo no banco de dados.
– Exporte e importe dados em arquivos texto.
– Leia e entenda todos os parâmetros do SGBD. Nesta parte você aprende muitos conceitos, e entende porque uma ou outra coisa não funcionou como você espera.

Fase 3 (Esta fase pode durar alguns meses)
– Execute RESTORE. Apague tudo e recupere o banco.
– Recupere o banco de dados em outro servidor. Esta pode ser dureza em alguns RDBMs.
– Cause uma lentidão (uma carga de dados, como feita na fase 2), e tente encontra-la. Tente otimiza-la.
– Implante Disaster Recovery (Standby). Implante Alta disponibilidade (Cluster). Estas implantações podem ser virtualizadas.

A partir daqui, volto para a teoria. Geralmente eu pego os requisitos para o primeiro nível de certificação, e vou lendo sobre eles, e agora posso testar os conceitos do que estou aprendendo, pois não estou tão perdido. Em algum momento durante as fases 2 ou 3, eu procuro algum treinamento. Vejo se o conteúdo do treinamento irá me agregar mais conhecimento, e se o instrutor é realmente experiente, pois agora terei muitas dúvidas. Se eu perceber que não aprenderei muito, arrisco um treinamento mais avançado. Seguindo estes passos, estou pronto para começar a trabalhar neste novo SGBD, e já obter o primeiro nível de certificação, para ser reconhecido no mercado como um profissional minimamente qualificado. O restante, só a experiência trará.

4 comments

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.