Como a Oracle está vendendo Cloud no Brasil

Alguém precisa falar.

No dia 28/06 acontecerá o Oracle Open World Latin America, em São Paulo.

Neste evento, os participantes irão ouvir sobre três coisas: Cloud, Cloud, e Cloud.

Os participantes deverão ouvir também como a Oracle está vendendo Cloud no Brasil a rodo. Deverão ouvir algo como “as vendas de Cloud subiram 300%!”. Eu aposto em um número maior.

O problema é que muitas destas “vendas” aconteceram da seguinte forma:
– A Oracle (geralmente um parceiro) se apresenta (de forma muito amigável) para fazer uma auditoria (eles usam um nome bem mais agradável e que não assusta) a respeito do uso de produtos Oracle.
– A auditoria acontece, e muitos clientes que utilizavam Standard Edition e Standard Edition One (SE e SE1), ou mesmo a nova Standard Edition 2 (SE2) são pegos na ARMADILHA que é o Diagnostics & Tuning Pack (ou uma das várias outras armadilhas), e passam a dever a licença Enterprise Edition.
– A Oracle cobra o preço da Enterprise Edition + Packs, que chega facilmente a milhões de dólares (e com o dólar a quase R$ 4,00…), ao invés do U$ 5.000 / 10.000 da SE / SE1 / SE2. Nesta hora, a abordagem amigável termina.
– A empresa obviamente não pode pagar (vi casos onde a licença era maior que o faturamento bruto anual). Aí que entra o Cloud: compre R$ 500.000,00 de Cloud, e perdoamos essa dívida de R$ 5.000.000,00.
– A empresa “compra” o Cloud, usa um pouco como teste, vê que não é viável financeiramente, e abandona.

Não é uma acusação, não é minha opinião. É um fato, e não é um caso isolado: eu não ouvi esta história acima menos de 20 vezes nos últimos 6 meses.

Eu acho sim que o cliente tem que pagar licença por um produto que cobra isso. Se o cliente não quiser pagar licença, que use um produto que não cobre isso. A escolha é direito tanto do fabricante e do cliente. Se o cliente usa, deve pagar.

Mas todos estes clientes da Oracle com quem eu falei querem utilizar as licenças corretas. O problema são as inúmeras armadilhas de licenciamento Oracle, onde por exemplo, o cliente ativa a Option Diagnostics Pack em uma instalação SE1 (sendo que Options são exclusivas da Enterprise Edition), não sabe como fez isso, e nem o parceiro lhe explica como. E nem é interessante para a Oracle explicar…

Pior do que isso, é a abordagem de chantagem, para vender um produto que não o cliente não quer.

Recomendo fortemente a toda empresa que, antes de receber a auditoria da Oracle ou Parceiro Oracle, fale com uma Consultoria que possui conhecimento a respeito, para ajuda-lo a adequar sua necessidade com suas licenças.

Windows BAT: Gerar EXPDP com data e horário

Fazer algo simples em BAT é tão confuso para mim, que quando consigo sempre publico no Blog, caso alguém precise.

set dia=%date:~-10,2%
set mes=%date:~-7,2%
set ano=%date:~-4,4%
set hora=%time:~-11,2%
set minuto=%time:~-8,2%
set arquivo="BACKUP%dia%%mes%%ano%%hora%%minuto%"
set arquivo=%arquivo: =0%

%ORACLE_HOME%\BIN\expdp.exe SYSTEM/Nerv2016 FULL=Y DIRECTORY=BACKUP DUMPFILE=%arquivo%.DMP logfile=%arquivo%.LOG

Processo Seletivo para DBA Júnior

Peço desculpas pelo título tão chamativo para quem busca trabalho, mas esta postagem é para você mesmo.

Recentemente fizemos alguns processos seletivos para a Nerv.

Em especial o processo para DBA Júnior me fez perceber algumas coisas importantes sobre os candidatos e o mercado de trabalho.

Eu procurei fazer esta vaga de DBA Júnior corretamente. Nada daquelas vagas que pedem RAC, Data Guard, Tuning, Exadata, Oracle 8i, HP-UX, e por aí vai. A vaga tinha cerca de 10 itens, como instalação do Oracle, alteração de parâmetros, manutenção de espaço. Nada de mais. A vaga tinha o que eu acho que um DBA Júnior deve fazer, o que eu gostaria de fazer como DBA Júnior.

O que eu aprendi:

– A maioria acha que DBA faz DDL e DML. E só. Parece que é isso que algumas faculdades andam ensinando, ou alguns “especialistas” do mercado deixam a entender, como os próprios candidatos me falaram. Eu explico que o DBA tem que saber fazer DDL e DML sim, assim como o mecânico precisa saber dirigir – a maior parte do trabalho é outra. Parece que o cara vê “DBA Oracle” e pensa “Ora, eu sei Oracle, já criei várias tabelas nele, e até fiz INSERT! Vou mandar CV! Agora vai!”.

– Recebemos mais de 400 CVs. A maioria (talvez 80%) envia CV para a vaga mesmo sem ter nem de perto as qualificações solicitadas (por exemplo, recebemos CVs de Web Designer). Enviam por enviar. Imagino que estes devem reclamar que as empresas não respondem… E nós respondemos absolutamente todos.

– Para ter uma ideia do preparo dos candidatos, poucos entraram no site da Nerv para saber o que fazíamos. E um caso especial: eu perguntei a um candidato ao chegar na entrevista o que ele conhecia de Oracle, e ele me respondeu “Ué, a vaga não é de SQL Server?”. Alguns marcaram entrevista e não vieram.

– Nenhum deles leu nenhum livro sobre Oracle na vida. E a maioria diz que as empresas não investem no funcionário. Mas se nem eles próprios investem…

– Quase nenhum deles nem tentou instalar o Oracle, nem em Windows. Para o iniciante realmente é muito difícil instalar o Oracle em Linux, mas estamos em 2016: há vídeos ensinando a fazer isso, passo a passo. Não há explicação para nem ter tentado.

– Quase todos os candidatos selecionados que diziam ter os requisitos, ao chegar na entrevista, diziam que não tinham todos os requisitos. Isso realmente me chocou. A maioria dizia na cara dura ter apenas 2-3 dos 10 requisitos. E alguns disseram que tinham, mas não tinham, e tentaram me enrolar (que belos pesadelos devem ter tido…). Na verdade, a maioria nem sabia o que queria dizer os requisitos. Parecem que só leram o título da vaga (oba, quero virar DBA!), e chutam de bico. Se der certo, deu.

Este último item me fez entender porque as empresas estão pedindo vagas com requisitos absurdos: eu pedi 10, recebi 2 ou 3. Por essa lógica, se eu pedir 100, devo receber 8 ou 10, espantando os que tem 2.

Procuramos fazer nossa parte: em primeiro lugar, um processo seletivo correto, e com resposta para todos. E para os candidatos que se saíram melhor, mas que não foram aprovados pela quantidade de vagas, demos um treinamento DBA Júnior, para que eles se preparem melhor para uma futura oportunidade.

Espero que esta postagem ajude alguém, que está procurando trabalho, a pensar melhor a respeito do porquê não estar encontrando.

O “mercado de trabalho” somos nós.

Tempo integral

Quando eu anunciei que a Nerv não teria mais Treinamentos em 2017, por conta do foco em Consultoria, muitos me perguntaram porque isto seria necessário, e que seria possível manter os dois trabalhos.

Eu explico. Dar (um excelente) treinamento não é um trabalho de só ir ao local, e dar o treinamento.

Criar um material do zero é um grande trabalho, de pelo menos seis meses completamente dedicados. Criar o material do zero engloba repensar todo o tema – afinal, estou criando-o para suprir uma necessidade que os treinamentos atuais não atendem. Depois disso, pesquisar muito, e testar mais ainda.
Por isso muitos preferem copiar os tópicos dos treinamentos oficiais (ou mesmo do meu), e ir adequando as páginas, talvez adicionando ou removendo algo. É um trabalho válido, mas não é o que eu gostaria de fazer.

Manter o material atualizado também é um grande trabalho. Logo mais sai o Oracle 12cR2, e os alunos vão querer saber a respeito das diferenças e novas funcionalidades, e ver na prática, se não todas, pelo menos as mais importantes. Você pode pensar que demora até sair um novo Release, mas a Nerv já ministra treinamentos desde o 10gR2 – este trabalho foi feito muitas vezes.

E sempre que sai um PatchSet, o aplico também a todos os treinamentos. Isto deve ser feito, pois desde o 11gR2, PatchSets podem trazer New Features (por exemplo, o InMemory surgiu no 12.1.0.2).
Mesmo quando sai um PSU ou CPU, eu aplico também. Geralmente isto não traz surpresas (mas já aconteceu), mas é bom os alunos saberem que todos os procedimentos que fizeram continuam funcionando com o ambiente atualizado.

E finalmente, manter o instrutor atualizado é um trabalho maior ainda. O instrutor deveria estar estudando constantemente, todos os dias, para dizer cada vez menos o inevitável “não sei” para os alunos. Afinal, já que ninguém sabe tudo, se quer ensinar, tem que estudar mais, para saber um pouco mais que os outros. Os alunos não estão ali para se reter apenas ao que está no material – para isso, era mais fácil ler um livro.
Muitas pessoas pensam que o difícil de nossa área é se manter atualizado, mas na verdade o grande conhecimento está no passado, e não no futuro. Por exemplo, excluindo as New Features, você tem certeza de que conhece completamente o Oracle RAC, um produto que se consolidou a quase duas décadas? Você leu as principais perguntas do mês no AskTom? E se um aluno leu alguma, que tem a ver com o tema do treinamento, e lhe perguntar a respeito?

Fora o trabalho administrativo, que também me ocupa pelo menos um dia na semana. Temos que ter certeza de que o laboratório está ok, a geladeira está cheia, os brindes generosos, e por aí vai. Alguém poderia fazer isso para mim? Poderia. Mas provavelmente não faria da mesma forma.

E ainda tem o Fórum de Suporte, onde respondo prazerosamente todas as perguntas, de todos os alunos.

Ou seja, para mim, ministrar treinamento é um trabalho de tempo integral. 🙂

Nerv faz 6 anos, 200 Treinamentos, e mais…

Estou muito feliz. 🙂

Em primeiro lugar, porque a Nerv neste mês faz 6 anos, com 200 Treinamentos realizados, e sempre em crescimento.

Em segundo lugar, porque o planejamento para reduzir Treinamentos e aumentar Consultoria está indo melhor do que o esperado.

Estamos hoje com 10 clientes fixos, em 5 estados do Brasil.

E em terceiro lugar, e o mais importante, porque nosso desejo de criar algo diferente em termos de consultoria, assim como fizemos com treinamentos, se mostrou uma direção certa. Afinal, acho que muitos concordam há uma necessidade a respeito consultoria no mercado que também não é atendida.

Meus agradecimento sinceros a todos os apoiadores, e principalmente aos clientes, que apostaram em nossa ideia!

Champagne-01

Como foi 2015 para a Nerv

LogoNerv

Em 2015 fizemos ainda mais do que em 2014!

Foram 37 Treinamentos, 9 Workshops, e 3 Palestras.
Sendo que 32 Treinamentos foram de 3 dias, e 5 de 7 dias. Isso significa que eu ministrei 1.048 horas de Treinamentos este ano, fora as 36 horas de Workshops.
Nos Treinamentos, tivemos 189 cadeiras ocupadas. Isso dá 198.072 horas / aluno!
Nos Workshops (de 04 horas) tivemos 56 pessoas presentes, e 28 em Palestras (de 02 horas).
http://nervinformatica.com.br/agenda.php

Chegamos então a 182 Treinamentos ministrados pela Nerv, e 530 alunos!
http://nervinformatica.com.br/alunos.php

Mas em 2016 nós já anunciamos que este ritmo irá mudar (aqui e aqui).

Em 2015 eu escrevi muito pouco no Blog, estive bem ausente de Redes Sociais e Skype, e não uso mais WhatsApp.
Isto deve continuar assim, pois estou dedicando todo meu tempo a criar uma Consultoria da mesma forma que fizemos com Treinamentos: algo radicalmente diferente do que já existe no mercado.

Consultoria x Treinamentos em 2016

LogoNerv

Embora eu goste muito, muito, muito de ministrar nossos Treinamentos, este movimento era inevitável: planejo investir mais tempo meu (assim como recursos da Nerv) em Consultoria do que em Treinamentos.

E devido ao ritmo de Consultoria estar muito maior do que planejávamos (e este sucesso me deixa muito feliz), a agenda 2016 deve ter menos treinamentos ainda.

Portanto, não há previsão de abertura de novas turmas além das que já estão no calendário.

Provavelmente (pelo mesmo motivo, Consultoria) também teremos uma alteração de endereço em 2016, e quando ocorrer, informaremos no Site da Nerv e aqui.
As turmas que estão na agenda até o momento irão acontecer no endereço atual.

Vaga do Dia: Doutor Manhattan

watchmen94

Putz, se não fosse o tal “Selenium” eu encarava.

Sem Comentários.
Nem sobre a tal “Refeição no local” e “Edição de Vídeo”… 😀
Deixo os comentários para vocês.

Analista De Sistemas

Descrição
Área e especialização profissional: Informática, TI, Telecomunicações – Administrador de Banco de Dados
Nível hierárquico: Especialista
Local de trabalho: São Paulo, SP
Regime de contratação de tipo Efetivo – CLT
Jornada Período Integral
COM EXPERIÊNCIA

Exigências
Escolaridade Mínima: Ensino Superior
Português (Avançado), Inglês (Avançado)
Banco de dados: Caché, DB2, Firebird, Informix, Interbase, Oracle, PostgreSQL, SQL Server, Sybase
Programação: JavaScript, jQuery, MATLAB, PHP, VB.Net, R, Ruby, Java, Python, HTML, Cuda extensions, Dot Net, CSS, COBOL, C++, C+, C#, C, ASP.Net, ASP, Erlang
Gráficos/Web: Macromedia Fireworks, Pixia, Paint Shop Pro, Macromedia Freehand, Macromedia Flash, Macromedia Dreamweaver, Inkscape, Expression Web, CorelDraw , Blender, Adobe Photoshop, Adobe Ilustrator, 3ds Max, GIMP
Aplicações de Escritório: StarOffice, Open Office, Microsoft Word, Microsoft PowerPoint, Microsoft Excel, Microsoft Access, Lotus Notes, LibreOffice, Microsoft Outlook
Sistemas Operacionais: Windows, VMS, UNIX, Solaris, NT 4.0, Linux, Mac OS, JavaOS, IBM OS, FreeBSD, NetBSD
Outros programas: SAP, Servidores Proxy, Servidores de E-mail, Selenium, Microsoft Project, Servidores Web, Edição de Video, Edição de Som, CRM, AutoCAD, ERP, Software de Contabilidade

Benefícios adicionais
Refeição no local, Vale-transporte

Salário a combinar